15.9.16

Regresso às aulas

Junto ao portão da escola, dois garotos desdentados, de braço dado:
- Chove a sério!
- Sabes o que isso quer dizer?
- Que chove a sério!
- Pois, mas quer dizer que Deus está a chorar.
- Ah, sim, boa!
- Mas sabes outra coisa? - o tom de voz baixa, vem aí segredo.
- Diz...
- Deus só chora por um olho.
- Oh! Porquê?
- Porque com o outro está a vigiar o mundo.
O amigo primeiro franze a testa, depois alcança a iluminação:
- Então deve ser por isso que ele chora!
A dois passos, as mães conversam:
- Estás a ver, Susana? Tem-me a mania que é poeta ou o caraças. Digo-te uma coisa: se este ano correr como o anterior, não sei se aguento. Nem a tabuada do dois me sabe!  
- Deixa, o meu é igualzinho. Ainda noutro dia virou-se e ó mãe, o que é que eu vou ser quando morrer? E eu, não é quando morreres, é quando cresceres. E ele, quando crescer vou ser piloto de aviões, mas quero saber o que vou ser quando morrer. E eu deito as mãos à cabeça, valha-te Deus! agora tenho de meter a louça na máquina, depois perguntas isso na catequese.
- Olha, pelo menos são rapazes, isto com o tempo passa-lhes e qualquer dia já só querem saber de bola. Se fossem meninas eram mais ingratas de criar.
Mas já a outra se desinteressou e sintoniza em frequência oposta:
- Sabes o que é que me chateia, Paula? Esta humidade. Frisa-me o cabelo todo! Tanto trabalhinho de manhã pra nada!