1.9.16

O método do amor

O príncipe William baixa-se para falar com o filho e a imprensa entusiasma-se. Chamam psicólogos, pediatras, pedopsiquiatras, para explicar que se trata de "escuta ativa" e que tem motivações claras e efeitos cientificamente comprovados. Confiai, portanto. Isto tem um nome e foi concluído por gente estudiosa, que o amor por si só não chega lá nem é credível como argumento. Deus nos livre de agir por puro e desinteressado afeto. Não se baixe um pai por cumplicidade, mas por estratégia. Não olhe nos olhos por magnetismo, mas por critério. Não ouça com atenção por gozo, mas por dever. Tudo com método, senhores, tudo com método, coordenadas e objetivos, que o instinto é dos bichos, não dos homens. 

(lembrei-me do senhor Casimiro, o antigo porteiro da escola do mais novo, que se baixava para falar com os que nem seus filhos eram. Duvido que ele conheça os estudos, suas conclusões e nomenclaturas. Mais certa estou da sua inteligência e humanidade. Mas, enfim, ao pé de um príncipe, que há de ter um porteiro de uma escola para ensinar ao mundo?)