30.8.16

A vida não é assim

O discurso de que as crianças precisam de se adaptar a um mundo injusto, duro e desigual, não me comove nem conquista. Gerar um filho esperando dele que enrijeça e sobreviva é uma ambição medíocre. Quase uma negligência. É a prova de que ninguém quer a mudança, à maioria bastam o conforto da lamúria, espaço para indignações sem pernas para andar e herdeiros que lhe façam eco. 
No mundo ideal, a criança vem para transformar, jamais para se alinhar. Calem-se os amargos, os descrentes e os resignados. Também eu tenho queixas, penas e limitações, mas não serão elas a apontar o caminho aos mais novos. A vida é assim é um crime contra o futuro.